segunda-feira, 1 de novembro de 2010



Eu pedi algo, e não fui atendida!
E no lugar não me deram algo muito melhor?
Então porque eu fico ridiculamente 
Esperando por mais?
Simplesmente não me dou por satisfeita.
Falta uma peça, algum encaixe...
Um gesto, uma palavra, uma certeza
Não sei viver momentos pela metade
Não sei esperar
Não consigo deixar nada para depois.
Quem garante que o ‘depois’ virá?
Tenho medo de perder coisas importantes
Ao mesmo tempo tenho medo de me precipitar
Não posso ignorar meus sentimentos...
Como cavalos selvagens
É mais seguro deixá-los livres.
Deixe que vão, deixe que levem o vento no rosto
E retornem na paz.
Despreocupados e contentes 
Como eu deveria estar...

Um comentário:

Marcela Melo disse...

olá.
Seu blog é lindo e vc escreve muito bem.
me identifiquei com seu jeitinho sereno de destilar palavras. Parabéns
vou seguir vc
bjs
Marcela

http://mmelomaisdomesmo.blogspot.com/